Solenidade na JT-MG comemora Dia Nacional dos Surdos

A longa parceria de oito anos entre o Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região e a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos – Feneis, foi celebrada nesta sexta-feira, dia 24, em solenidade realizada para marcar o Dia Nacional dos Surdos, comemorado em 26 de setembro.

A solenidade foi realizada no auditório do Fórum da JT da Rua Mato Grosso e contou com a colaboração de Iane Rodrigues, coordenadora pelo TRT, no interior, atuando como intérprete, e Marcelo Bleme, coordenador pela Região Metropolitana, como intérprete oralizador. Na abertura, os presentes puderam acompanhar o Hino Nacional, interpretado na língua de sinais por Gilberto Santos Justino, gestor de recursos humanos da Feneis.

Marcos Antônio de Souza Júnior, Sérgio de Araújo Silva, servidor da diretora de Gestão de Pessoas, representando a diretora, Maria Cristina Gonçalves Discacciati, juiz Danilo Siqueira de Castro Faria e Sylvio Túlio Peixoto, representando a assessora de Apoio à Primeira Instância, Denise Maria Reis Grego

O juiz Danilo Siqueira de Castro Faria, diretor do foro da JT de Belo Horizonte, na ocasião representando a presidente do tribunal, desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria, lembrando que a data marca lutas e avanços dos surdos pela inclusão social, disse em seu pronunciamento que a data, muito especial, reforça a esperança e o otimismo em relação ao futuro e à valorização do ser humano: “Antes impedido de ter acesso ao pleno convívio social e ao mundo do trabalho, a pessoa com deficiência auditiva conquista cada vez mais, na atualidade, direitos efetivos de cidadania”.

O magistrado lembrou, ainda, que a parceria firmada entre o TRT e a Feneis, desde 2006, vem prosperando ao longo dos anos, já que o primeiro convênio firmado beneficiou apenas 40 surdos e hoje são 242 portadores de deficiência auditiva que prestam serviços na Justiça do Trabalho, assim divididos: 108 Varas do Trabalho da capital, 107 no interior e 27 na Região Metropolitana, todos coordenados por três intérpretes, que atuam como intermediários na comunicação dos surdos com os ouvintes.

Por fim, o diretor do Foro de BH disse que o tribunal sempre estará com as portas abertas à parceria com a instituição e parabenizou os servidores responsáveis pelo trabalho desenvolvido na aplicação do convênio entre o Tribunal e a Federação, “fazendo com que esta parceria continue dando certo e constitua sempre um dos grandes orgulhos deste Tribunal”.

Muito emocionados, os jovens da Feneis puderam assistir, em seguida, a um vídeo produzido pela equipe da entidade com fotos em seus locais de trabalho, nas unidades do TRT.

Na sequência, a coordenadora intérprete da Feneis, Elaine Cristina Alves Amancio de Assis, lembrou momentos de inclusão e exclusão dos surdos na sociedade, quando, no passado, eram considerados seres especiais, pois, devido ao seu silêncio e falta de comunicação, pensava-se que poderiam levar mensagem aos faraós. Sem preconceitos, Sócrates reconheceu que os surdos poderiam se comunicar por meio de braços, pernas, cabeças, e seu contemporâneo, Aristóteles, os considerava doentes. Já o império Romano, influenciado pela ideal da beleza grega, considerava os surdos seres imperfeitos e que não poderiam viver em sociedade.

Segundo Eliane, muitos avanços foram conquistados pelos surdos, que estão se inserindo no mercado de trabalho e até possuem linguagem oficial própria, a Libras-Língua Brasileira de Sinais. “Mas vocês não podem parar e se dar por satisfeitos. Precisam legitimar estes avanços e conquistar muito mais porque são capazes de vencer todas as barreiras e progredir”. Finalizando, a coordenadora agradeceu os servidores do TRT e da Feneis que atuam para que o convênio continue sendo ampliado e “pela luta e colaboração no dia-a-dia”.

O diretor regional da Feneis, Marcos Antônio de Souza Júnior, falou, por intermédio de um tradutor oral, da importância de se comemorar o Dia Nacional dos Surdos, “porque representa a luta da comunidade surda, que durante muito tempo vem celebrando parcerias para a inserção no mercado de trabalho, muito importante para sua valorização”. Agradecendo ao TRT pela longa parceria com a entidade, o diretor lembrou que a Feneis “se preocupa com cada contrato realizado, com cada funcionário que ocupa vagas aqui no TRT. Não temos preocupação com lucro, todo o dinheiro repassado pelo tribunal é repassado aos surdos em forma de salário e revertido em programas sociais para eles”.

Já Walison Manzoli fez um agradecimento em nome de todos os funcionários da Feneis aos representantes e servidores do TRT, ao diretor e coordenadores da Feneis, e também aos jovens que trabalham na JT: “nós temos aprendido muito com esta parceria, crescemos e sentimos que este aprendizado nos prepara para galgar caminhos mais altos no futuro e a conquistar mais espaços”. (SolangeKierulff/fotos Leonardo Andrade)

Fonte: TRT3 Notícias

Não é cadastrado no JusDocs?

Acesse milhares petições jurídicas utilizadas na prática!

últimos artigos adicionados